terça-feira, 30 de abril de 2013

Primeiro 4G de São Paulo ainda é pouco abrangente, mas tem boa velocidade

O que você achou? 
O 4G chegou a São Paulo na quinta-feira passada, mas o serviço, oferecido até agora só pela Claro, ainda tem problemas de abrangência.

Em regiões centrais, como a da Av. Paulista, a rede de quarta geração não foi reconhecida pelo smartphone, o aparelho usado para o teste foi Razr HD, da Motorola.

Em outros locais, como no bairro de Pinheiros e na Cidade Universitária, o 4G tampouco estava disponível. Quando isso acontece, o celular usa a melhor conexão de internet disponível, que pode ser tanto 3G quanto 2G.

Por meio de sua assessoria, a Claro confirmou o problema e o atribuiu à interferência de outras difusões, mas garantiu que o solucionará. O funcionamento pleno da rede deve ser estabelecido gradualmente e “até o fim do ano”, diz a empresa.

A cobertura chega a 50% da área do município, segundo a Claro, que diz ter priorizado regiões com maior densidade populacional e concentração de empresas.

Na Santa Cecília, bairro do centro onde o 4G da Claro funcionou, a taxa de download chegou a 13 Mbps, ante 3,6 Mbps de um aparelho equipado com conexão 3G também da operadora. a prática, essa diferença poderia reduzir o tempo de uma transferência de um minuto para 17 segundos. A taxa de upload ficou entre 3,7 Mbps e 4,5 Mbps.

O limite de tráfego (soma dos dados enviados e recebidos por meio da conexão de celular) é de 5 GB mensais, e o preço de R$ 99,90, mesmo valor cobrado pelo plano 3G da operadora com os mesmos 5 GB.

Em condições ideais (como em local mais próximo da antena), testes feitos pela Claro que puderam ser conferidos aferiram taxa de download de 42 Mbps, superior a boa parte das conexões de banda larga residenciais.